Normas para elaboração dos Resumos Expandidos

Poderão ser submetidos resumos de trabalhos originais e/ou relatos de caso

Os trabalhos deverão ser submetidos em forma de RESUMO EXPANDIDO (até duas páginas digitadas) em português ou inglês, enviado no formato de editor de texto Word (.doc ou .docx). Podem ser enviadas Figuras (fotos ou gráficos) e Quadros (não usar o termo Tabela), com até no máximo 4 Figuras (no formato .jpg com resolução entre 300 a 600 dpi). As Legendas das Figuras devem ser enviadas no final do texto do resumo expandido. Os Quadros e as Figuras devem ser anexados no campo específico em arquivos separados.

 

Observações relevantes: o resumo expandido deverá ser submetido no formato de editor de texto Word (.doc ou .docx). As figuras, que devem ser submetidas em arquivo separado, devem está no formato .jpg com boa resoluação (300 a 600 dpi).

 

a) Fonte Cambria, corpo 10, entre­linha simples, página em formato A4, com 2cm de margens (superior, inferior, esquerda e direita). Texto corrido em uma coluna justificada.

 

b) Cada resumo expandido deve ter um cabeçalho, organizado em: autores, ano, título do resumo (negrito), Pesquisa Veterinária Brasileira 38(Supl.):00-00. Endereço postal completo da instituição onde foi feita a maior parte da pesquisa. E-mail do autor para correspondência. Em caso de apoio financeiro, a menção à entidade financiadora entrará centralizada logo abaixo do cabeçalho do Resumo.

 

c) O texto do resumo é subdividido em Introdução (este tópico deve terminar com os objetivos do artigo), Material e Métodos (se tratando de relato de caso a descrição do mesmo deve ser apresentada nesta sessão), Resultados, Discussão, Conclusão (Resultados, Discussão e Conclusão de preferência em tópicos separados), Referências e “TERMOS DE INDEXAÇÃO”. Os Resumos devem ter no máximo 8 (oito) autores; cada parte (Introdução, Material e Métodos, Resultados, Discussão, Conclusão) deve estar disposta em um parágrafo justificado.

Observação: os numerais devem ser apresentados junto com suas unidades, ou seja, sem espaçamento, por exemplo: 100ppm, 10mm, 50cm, 18x10cm, (P<0,05), 15h, 35kg.

 

d) Citações de Referências no texto serão feitas pelo sistema “autor e ano” cronologicamente; artigos de dois autores serão citados pelos nomes dos dois, e com mais de dois, pelo nome do primeiro autor, seguido de “et al.”, mais o ano. (p.ex.: Pescador 2013, Antoniassi & Driemeier 2014, Lemos et al. 2015, Riet-Correa et al. 2016).

Se dois artigos ou mais não se distinguirem por esses ele­mentos, a diferenciação será feita através do acréscimo de letras minúsculas ao ano. (p.ex.: Gava 2009a, 2009b, Barros & Gava 2010a, 2010b, Silva et al. 2011a, 2011b).

Em casos de citação de dois artigos do mesmo autor de anos distintos será usado o nome do primeiro autor, seguido dos anos dos trabalhos. (p.ex.: Castro 2009, 2010, Pedroso & Pimentel 2011, 2012, Barbosa et al. 2013, 2014). Nas citações de referências colocadas entre parênteses, não se usa vírgula entre o nome do autor e o ano; usa-se somente uma vírgula (p.ex.: Dantas 1997, Priester & Haves 1998, Riet-Correa et al. 1999).

 

e) A lista de Referências no fim do Resumo inclui somente as referências cita­das no texto, que serviram como fonte de consulta. A lista de Referências deve ser ordenada alfabética e cronologicamente, pelo so­brenome do primeiro autor, seguido dos demais autores (todos) com as iniciais em caixa alta, ano, título da publicação citada, e, abreviado (por extenso em casos de dúvida), o nome do periódico ou obra, com os nomes científicos em itálico. (Note: sobrenomes com “de” (p.ex.: de Moraes), a palavra “de” deve ser omitida ou escrita com inicial em caixa alta (p.ex.: De Moraes ou p.ex.: Moraes).

 

Exemplos de Referências:

 

  • Artigos publicados em periódicos:

 

Pavarini S.P., Soares M.P., Bandarra P.M., Gomes D.C., Bandinelli M.B., Cruz C.E.F. & Driemeier D. 2011. Mortes súbitas causadas por Amorimia exotro­pica (Malpighiaceae) no Rio Grande do Sul. Pesq. Vet. Bras. 31:291-296.

 

Hooiveld M., Smit L.A., Wouters I.M., Van Dijk C.E., Spreeuwenberg P., Heederik D.J. & Yzermans C.J. 2016. Doctor-diagnosed health problems in a region with a high density of concentrated animal feeding operation. Environ. Health 17:15-24.

 

(Note: as iniciais do título de artigo publicado em periódico são minúsculas!)

 

  • Resumo publicado em evento:

 

Pierezan F., Lemos R.A.A., Rech R.R., Rissi D.R., Kommers G.D., Cortada V.C.L.M., Mori A.E. & Barros C.S.L. 2007. Raiva em equinos. Anais XIII Encontro Nacional de Patologia Veterinária, Campo Grande, MS, p.145-146. (Resumo)

 

  • Livro:

 

Tokarnia C.H., Brito M.F., Barbosa J.D., Peixoto P.V. & Döbereiner J. 2012. Plantas Tóxicas do Brasil para Animais de Produção. 2ª ed. Helianthus, Rio de Janeiro, p.305-348.

 

(Note: as iniciais do título do livro são maiúsculas!)

 

  • Capítulos de livros com autores:

 

Barros C.S.L. 2007. Doenças víricas: leucose bovina, p.159-169. In: Riet-Correa F., Schild A.L., Lemos R.A.A. & Borges J.R.J. (Eds), Doenças de Ru­minantes e Equídeos. Vol.1. 3ª ed. Pallotti, Santa Maria.

 

Tokarnia C.H., Brito M.F., Barbosa J.D., Peixoto P.V. & Döbereiner J. 2012. Plantas que afetam o funcionamento do coração, p.27-94. In: Ibid. (Eds), Plantas Tóxicas do Brasil para Animais de Produção. 2ª ed. He­lianthus, Rio de Janeiro.

 

  • Dissertações e Teses:

 

Silva R.M.M. 2016. Prevalência, identificação e distribuição das lesões abscedativas em caprinos e ovinos abatidos em um matadouro frigorífico no Estado da Bahia. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas. 56p.